A anatomia de uma animação

Por favor, não me interprete mal. Eu detesto animações em slides. [Ranzinza mode ON] A maioria das animações em slides só servem para tirar tempo do expectador e constranger o apresentador, que “na hora da verdade” quer passar o slide batido e acaba ficando preso na sequência de animação. [Ranzinza mode OFF]

Passado o desabafo, a revelação: o uso de algumas animações pode ser crucial para que a sua apresentação tenha a dinâmica mais adequada. Por exemplo, digamos que você queira enumerar alguns itens, ou apresentar um fluxo de trabalho. Nada mais justo que usar uma animação. Se não tiver firulas, ok. Nesses casos, recomendo fazer uma sequência de slides iguais, em que eu acrescento informações a cada slide. É uma estratégia interessante porque mesmo que as informações sejam sobrepostas, será possível acessar o conteúdo em uma impressão (opção ruim!) ou em um arquivo .pdf.

Gostaria de convidar você a dar uma olhada neste vídeo:

Esse vídeo foi 100% elaborado no PowerPoint. O processo de criação teve quatro etapas:

  1. Mensagem
    • O texto que seria narrado foi a primeira coisa a fazer. Afinal, o texto balizaria todo o resto do trabalho. É o ponto mais importante na hora de criar uma animação. Se não houver mensagem a ser transmitida, você somente desrespeitou o expectador.
    • Nesse momento, a narração foi gravada para identificar os elementos de “cena” e os tempos que cada um precisaria ficar na animação. Para inserir uma narração em um slide, basta usar “Inserir > Áudio” e escolher entre usar um arquivo já gravado ou gravar na hora. É fundamental marcar para iniciar automaticamente, com as seguintes opções:
      • Lix0_audio
  2. Desenho estático
      • Todos os elementos da “cena” foram posicionados no slide:

    Lix0_elementos

  3. Animação
      • Cada elemento recebe um ou mais comandos de animação. Basicamente, eles precisam aparecer, se movimentar e desaparecer. A sequência foi totalmente automatizada, para que houvesse um encadeamento direto, sem a necessidade de interação com cliques. Os tempos de cada animação foram dimensionados para coincidir com a voz gravada.
      • Normalmente esse é um processo que requer muita paciência, porque são acumulados comandos sobre os elementos a serem animados, e tudo isso precisa de uma coordenação temporal que coincida com a narração.

    Lix0_animação

  4. Revisão e empacotamento
    • Depois de deixar tudo pronto, é o momento de colocar no modo de apresentação e verificar se a animação ocorre na sequência correta e é coerente com a narração.
    • Aquilo que não estiver de acordo precisa ser modificado. Normalmente os ajustes de duração da animação e de atraso de início são suficientes. Cabe lembrar que cada alteração afeta toda a cadeia de eventos, o que aumenta a complexidade da operação.
    • Com tudo pronto, o arquivo PowerPoint pode ser exportado para vídeo em “Arquivo  Exportar > Criar Vídeo”.

Pronto!

O PowerPoint pode não ser o melhor aplicativo do mundo para fazer animações, mas podem ser obtidos resultados bem interessantes com ele. A grande vantagem é que a edição pode ser feita dentro da zona de conforto do usuário do PowerPoint, e há diversos tutoriais na internet sobre os recursos existentes.

O que você pensa das animações no PowerPoint? Deixe seus comentários

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *